Tuesday, March 13, 2018

Máquina de lavar

Hoje tirei pra lavar a roupa de cama
que displicentemente conservava
porque ainda tinha o cheiro dos nossos corpos
Despejei o sabão em pó
dando adeus às manchas
de saliva, gozo e suor
"Da poeira do cotidiano que a mulher extrai filosofia", 
me ensinou Elisa Lucinda
Centrifuguei então sem dó
seus absurdos encardidos
junto dos lençóis e fronhas
E é dessa máquina
que vai sair meu amor próprio
limpo e com perfume de lavanda

1 comment:

Gugu Keller said...

O recomeço compensa o tropeço.
GK